Lixo Urbano

2006-11-03

A problemática do lixo urbano

A velocidade do crescimento populacional e urbano muitas vezes sem planejamento (sobretudo nos países subdesenvolvidos), ao lado da escassez de recursos legais (leis de proteção ao meio ambiente). Uma das principais poluições que causam grande degradação ao meio ambiente e ameaça ao ser humano é o lixo urbano. Poucas cidades dispõem de aterros sanitários apropriados e raríssimas são as que possuem usinas de tratamento. Diante da escassez cada vez maior de locais apropriados (aterros) para a colocação de montanhas de lixos geradas diariamente nas cidades. Muito destes lixões são fonte de consumo para muitas pessoas, famílias inteiras, como coletores de materiais para reciclagem e para consumo alimentar.
Esses lixões acumulam lixos de vários lugares agravando a situação dessas pessoas, são lixos hospitalares, podendo haver contaminação com agulhas, remédios vencidos que se utilizados poderão causar vários danos a saúde, além de lixos tóxico como a contaminação de pilhas e baterias que contenham metais pesados como o chumbo, mercúrio e cádmio em seus produtos. Estima-se que cada bateria ou pilha depositada de forma inadequada contamine uma área de um metro quadrado.

Metais pesados como chumbo, cádmio, mercúrio e seus compostos podem provocar graves doenças neurológicas, além de afetar a condição motora. Milhares de pilhas são jogadas nos lixos domésticos de celulares, brinquedos, lanternas, equipamentos eletrônicos e elétricos. Além disso, contaminam rios e lençóis freáticos. O Brasil não tem uma política pública que oriente o consumidor quando a toxicidade e a necessidade de separação desse lixo.
A reciclagem é uma saída para amenizar a quantidade de lixo produzida por cada pessoa. Ela já é empregada em muitas cidades do mundo desenvolvidos e subdesenvolvidos, consiste na separação (seleção)e recuperação dos diferentes tipos de materiais orgânicos e inorgânicos (vidros, papel, plástico, metal, etc.). A seleção e a recuperação do lixo urbano no mundo, principalmente em países desenvolvidos já é prática rotineira e generalizada. No Brasil, uma das principais experiências de coleta seletiva de lixo urbano foi implantada no Bairro de São Francisco em Niterói (RJ) em 1987. Na cidade de São Paulo, a coleta selecionada foi introduzida inicialmente no bairro de Vila Madalena, em 1989. Um grande problema e o esgotamento da capacidade dos poucos aterros existentes bem como a precariedade das condições higiênico-sanitárias, aliados as dificuldades de encontrar novas áreas para se depositar o lixo. Muitos são terrenos baldios, rios e mangues, aterros a céu aberto, matas, etc. O lixo, por oferecer água alimento e abrigo, dá condições para o desenvolvimento de várias formas de vida. Desenvolvem-se, moscas, ratos, baratas, barbeiros, pulgas, piolhos, sarna, mosquitos (aedes aegypty) que transmite a dengue. Ratos como camundongos e ratazanas que vivem em ambientes com acúmulo de lixo e água. Em ambientes propícios à procriação e à contaminação que podem causar leptospirose e hantavirose, além da bubônico. A leptospirose é causada pela bactéria leptospira, encontrada em fezes e urina de ratos presentes em água empoçadas e em alagamentos, e afeta pulmões e rins. A hantavirose é produzida a partir da excreção contaminando pelo vírus hantaan. Se inalada pelo homem, pode levar à morte em poucas horas. Não tem tratamento específico. O índice de mortalidade é muito elevada. Outras doenças como vermes, bactérias, fungos e vírus são ameaças constantes encontradas em locais com acúmulos de lixo, assim como, tifo, pestes, etc.
BIODIGESTORES

Uma alternativa de reciclagem

A biodigestão ou fermentação anaeróbica, isto é, na ausência de oxigênio, representa uma alternativa energética renovável e de eliminação de resíduos orgânicos. Basicamente essa reciclagem consiste na produção de gás combustível e adubos, a partir de compostos orgânicos (excrementos de herbívoros, palhas, restos de frutas e vegetais, etc), realizada por bactérias que existem livres na natureza. No Brasil já são encontrados biodigestores nas áreas rurais de quase todos os estados. O início desta prática data da década de 1960, em Recife, no Nordeste, quando foi produzido gás com alto teor energético e adubo orgânico a partir de excremento bovino e lixo urbano. Atualmente, é necessário que os órgãos governamentais dêem continuidade ao projeto e apoio aquela que desejam e necessitam implementar essa tecnologia.

Materiais
Não reciclável / Reciclável

Não reciclável - etiquetas adesivas, fitas crepe, tocos de cigarro, fotografias.
Reciclável - Papel = Já é reciclado há décadas como o jornal, mas só ressentimento outros tipos de papéis que podem ser reciclados: papelão, jornais, listas telefônicas, embalagens, revistas, etc.
Papeis que tem restrições - Papéis usados como embalagens de produtos alimentícios, óleos e graxas, papel para fax e papeis laminados, como os utilizados pelas lanchonetes.
Tempo - 2 a 4 semanas para decomposição.

Materiais de construção - as pedras na construção chegam a mais de 10% do custo de uma obra no Brasil. Isso significa que, para cada dez edifícios construídos, um é desperdiçado. Para o aproveitamento do entulho das construções podem ser reusados em revestimentos, em contrapisos, em tijolos, telhas e outros materiais, gerando assim uma economia e um aproveitamento da sobra de materiais.
Tempo - sua decomposição é indeterminada.

Metais - A reutilização do ferro e do próprio aço para sua produção em substituição ao minério bruto, é uma atitude que vai ao encontro das perspectivas da sociedade, as vantagens desse processo, 7,4% de energia economizada, 90% de materiais brutos economizados, 86% de redução na poluição do ar, 40% de redução no consumo de água, 76% de redução na poluição água, 97% de redução nos lixos das minerações.
O alumínio - a reciclagem de alumínio é um circuito fechado. O programa permanente de reciclagem da lata de alumínio, implantada em 1994 compra qualquer quantidade de latas de alumínio vazias. O processo é simples, essa troca faz com que o programa feche um circuito para a reciclagem em latinhas de alumínio no Brasil. Os números impressionam. Em 2001, 119,5 mil toneladas de alumínio foram recicladas. No total, foram nove bilhões de unidades reaproveitadas daria uma latinha e meia para cada habitante do planeta. O Brasil ultrapassa o Japão e é o campeão mundial de reciclagem de latinhas de alumínio, atividade que tira milhares da miséria. Cerca de 500 mil pessoas vivem da reciclagem de lixo no Brasil, 150 mil exclusivamente do alumínio que pode render em média R$ 30o reais com essa atividade. Aproximadamente 15 mil escolas e instituições estão cadastradas em programas permanentes de reciclagem de alumínio. Duas mil empresas e ONGs estão envolvidas como atividades. E que 75 latinhas equivale a um quilo de alumínio. A reciclagem de alumínio no mundo é a seguinte: Brasil com 85,0%, Japão com 82,8%, Estados Unidos com 55,o% e Europa com 45,0%.
Tempo - 200 a 500 anos de decomposição para alumínios e 100 anos para outros tipos de latas.

Outros metais recicláveis - cobre, ferro, zinco.

Vidros - É 100% reciclável, isso que dizer que todo vidro usado pode virar vidro de novo. A reciclagem diminui a retirada de matéria-prima da natureza e o acúmulo de embalagens nos lixões. Incluem-se garrafas de refrigerantes, cervejas, sucos e água não retornáveis, garrafas de vinho e bebidas alcoólicas, potes de produtos alimentícios, frascos perfumes de medicamentos, espelhos, cerâmicas, porcelana, etc.
Tempo - para decomposição é indeterminado.

Plásticos - Os plásticos em sua maioria são produzidos a partir do petróleo, um "recurso não-renovável" de matéria-prima, apenas 1% do petróleo consumido no Brasil é utilizado para a produção de plástico, os materiais plásticos são transformados em resinas plásticas. As resinas plásticas podem ter sua decomposição química modificada e dar origem a diferentes tipos de plástico. Os materiais plásticos usados para fazer embalagens são chamados de "termoplásticos" porque amolecem quando aquecidos, podendo ser transformados em novos produtos. Os materiais plásticos coletados pela coleta seletiva são levados para a Central de Triagem. Na triagem os diferentes tipos de plásticos são separados e enviados para as fábricas de reciclagem onde são novamente derretidos para a fabricação de novos produtos.
Embalagens recicláveis - refrigerantes tipo "pets", margarina e materiais de limpeza, copinhos de café e água, canos e tubos, sacos plásticos em geral.
Não reciclável - tomadas e cabos de panelas.
Tempo - 450 anos para a decomposição.

Não recicláveis - clips e grampos, esponjas de aço, canos e pilhas.



MOTIVOS PARA SEPARAR O LIXO

* A reciclagem de uma única lata de refrigerante, representa uma economia de energia equivalente a três horas com a televisão ligada;
* Uma garrafa de vidro demora 5 mil anos apara se decompor;
* O reaproveitamento de lata rende US$ 30 milhões por ano;
* Uma lata pode resistir cem anos à ação do tempo;
* Reciclar uma tonelada de alumínio gasta 95% menos energia do que fabrica a mesma quantidade;
* Uma tonelada de papel reciclado poupa 22 árvores do corte, consome 71% menos energia elétrica e representa uma poluição 74% menos do que na mesma quantidade;
* Uma tonelada de alumínio usado reciclado representa cinco de minério extraído poupado;
* Para cada garrafa de vidro reciclada é economizado energia elétrica suficiente para acender uma lâmpada de 100 Watts durante quatro horas;
* A reciclagem de 10.853 toneladas de vidro preserva 12 mil toneladas de areia;
* A reciclagem de 18.679 toneladas de papel, preserva 637 mil árvores;
* No Brasil, cada habitante descarta 25 quilos de plástico por ano, cinco vezes menos que os americanos, um dos maiores consumidores do mundo;
* A reciclagem de 6.405 toneladas de metal, preserva 987 toneladas de carvão.
Destino do Lixo

O correto

O aterro sanitário é uma obra de engenharia que impermeabiliza o solo com argila compacta, geomembrana (polietileno de alta densidade) e brita para proteger o lençol freático e evitar que o chorume (líquido que sai do lixo) atinja mananciais de água. O chorume pode ser 80 vezes mais poluente do que o esgoto doméstico. Nos aterros, os gases que exalam do lixo são drenados e queimados. O chorume escorre para o chamado filtro biológico anaeróbio, formado por uma camada de brita (capaz de degradar o material orgânico do líquido). Quando passam pelo colchão de brita, as bactérias do chorume são absorvidas e se fixam. O líquido drenado fica 15 dias no local. O chorume já tratado passa para a estação de tratamento onde receberá a forma final antes de ser devolvido ao ambiente
Maioria dos detritos domiciliares é lançada em terrenos a céu aberto ou em cursos d'água. 240 mil toneladas de lixo são geradas por dia em todo país. Destas, 100 mil corresponde a lixo domiciliar. Mais de 80% do lixo domiciliar produzido no país é lançado em lixões a céu aberto ou perto de cursos d'água. Apenas 10% do lixo é colocado em aterros sanitários, que oferecem condições estruturais para reduzir os danos ambientais. Milhares de crianças e adolescentes brasileiros vivem em lixões ( os depósitos de lixo clandestinos). Cerca de 30% das crianças que sobrevivem da catação de lixo no país não freqüentam a escola, 47 mil crianças trabalham na catação em lixões no Brasil, passam a maior parte de suas vidas em meio ao lixo, morando com suas famílias em barracos improvisados. Trabalham catando alimentos e sucatas para vender. Outros 30 mil pessoas exercem a atividade na ruas do país. Cerca de 2 mil pessoas retiram seu sustento de usinas de reciclagem de lixo no estado do Rio grande do sul. Cerca de 45 mil brasileiros sobrevivem dos lixões. Dezenove instituições brasileiras, com o

apoio do UNICEF, lançaram e, 1999 o Fórum Lixo e Cidadania e seu principal objetivo é criar condições para tirar as crianças e os adolescentes do lixo. Um dos planos é profissionalizar os catadores de lixo organizando-os em cooperativas que fariam parcerias com órgãos públicos ou com as empresas em programas de coleta e reciclagem.

Sistema de Compostagem

O sistema de compostagem transforma detritos orgânicos em adubo para agricultura. O lixo recolhido dos lares separados (orgânico e lixo seco) nas residências. Oferecido para coleta o produto orgânico é recolhido por caminhões. Os veículos, ainda no mesmo dia, transportam o material até a usina, passam pela pesagem e executam a descarga do material nos poços de recepção. Gruas fazem a locomoção e a dosagem do lixo dos poços até a esteira de seleção. Trabalhadores incumbidos de separar o lixo fazem a segregação na esteira de materiais como plástico, pedras, vidros e materiais não-orgânicos eventualmente incluídos ao final da esteira de seleção o material ainda possível de putrefação é depositado em um caminhão, que o conduz até o pátio de compostagem. Ao longo de quatro meses, o lixo orgânico selecionado é exposto em pilhas ao ar livre, revolvidos por escovadeiras, são mantidas níveis de temperatura (65°C) e unidade entre 40% e 50% ideais à biodegradação ou à estabilização biológica promovida por bactérias. Após o período, o composto está pronto. É submetido, porém, a um novo processo de peneiramento, onde são retirados plásticos, pedras e materiais não eliminados nas análises anteriores. O composto orgânico é industrializado e distribuído como húmus de uso agrícola em propriedades rurais. Fecha-se o ciclo, com reaproveitamento de até 80% do lixo depositado em estado bruto.





1 Comments:

At 8:05 PM, Blogger Viih Nunes said...

Parabeens pelo post ! ;D

Beem feito! =D

 

Postar um comentário

<< Home